Imagine apenas um policial civil sendo responsável por atender a 18.549 pessoas. Essa é a média de policial civil por habitante encontrada no município de Cariacica. Ao todo, as quatro Delegacias Distritais contam somente com 19 policiais que precisam dar seguimento às demandas trazidas à polícia judiciária oriundas dos vários segmentos e Instituições da Segurança Pública e de toda população do município, que compõe uma número estimado em 352.431 habitantes, segundo o IBGE*.

O resultado dessa equação alarmante é a sobrecarga de trabalho, acúmulo de função, estresse e desmotivação, comprometendo a vida de dezenas de policiais civis, e que foi evidenciado nesta terceira inspeção sindical realizada pelo Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES) nas Distritais da Grande Vitória.

DP de Itacibá

 

Acessibilidade comprometida, delegacia pequena e muito trabalho. Dessa forma, um delegado, dois escrivães, um investigador e um agente resistem bravamente atendendo ao público que necessita dos serviços prestados pela polícia judiciária em toda circunscrição que atende aproximadamente 40 bairros no Distrito Policial de Itacibá.

O imóvel é alugado e a estrutura interna é regular. No térreo, em um espaço pequeno e sem climatização, funciona o atendimento ao público. Para ter acesso ao “cartório” e ao gabinete do delegado, no segundo andar, é preciso enfrentar dois lances de escada, o que inviabiliza a mobilidade de pessoas com algum tipo restrição motora.

Na área externa, por meses a caixa de esgoto se encontra entupida, vazando da porta lateral até a rua. O mau cheiro é insuportável. Em março, os servidores acionaram o Serviço de Manutenção e Zeladoria da Polícia Civil (SMZ/PCES), mas até o momento da inspeção sindical ninguém apareceu.



Com duas viaturas descaracterizadas e uma única impressora para atender toda a delegacia, os policiais civis trabalham em uma sobrecarga de trabalho e atendem mensalmente cerca de 260 inquéritos policiais, 35 termos circunstanciados e, aproximadamente, 350 boletins de ocorrência; em consequência do baixo efetivo, apenas um policial civil é responsável por atender toda demanda externa.

Clique na foto para ampliá-la

 

DP Cariacica Sede 

No Distrito Policial de Cariacica Sede a situação consegue ser um pouco pior. Responsável por atender 74 bairros, a estrutura do imóvel é péssima e sem segurança. A unidade está caindo aos pedaços, apresenta mofo, infiltrações, problemas nas redes elétrica e hidráulica, além do ambiente ser completamente insalubre e tomado por ratos e baratas.

O cartório está entupido dos mais diversos anexos. A sala também é morada de ratos que espalham fezes por onde passam, além de roerem todo o material apreendido e que fica entulhado no local, em função da morosidade e da incompetência dos Órgãos responsáveis pela questão.

Com um quadro operacional composto por um delegado, um escrivão e três investigadores, os policiais contam com uma viatura caracterizada e uma descaracterizada para realizarem toda a demanda. A delegacia atende a 700 inquéritos policiais, 10 termos circunstanciados e aproximadamente 300 boletins de ocorrência, por mês.




Clique na foto para ampliá-la

 

DP Campo Grande e DP Jardim América

No segundo andar de um prédio novo e bem estruturado estão localizados o Distrito Policial de Campo Grande e o Distrito Policial de Jardim América. No mesmo local também está localizada a Delegacia da Mulher de Cariacica. Vale destacar que a Depol de Jardim América só está vinculada neste prédio, pois o imóvel destinado ao Distrito Policial está “passando por um reforma”, conforme foto abaixo:

Logo ao chegar, é possível dar de cara com paredes parcialmente pichadas, além da falta de acessibilidade à Depol já evidenciada em outros imóveis. A realidade vivenciada nos Distritos Policiais de Campo Grande e Jardim América não é muito diferente da encontrada nas demais unidades policiais inspecionadas pela Diretoria do Sindipol/ES. Faltam policiais civis, sobra trabalho. A sobrecarga de trabalho é o maior problema encontrado nessas delegacias. 

Apesar das Distritais estarem juntas, cada uma responde por uma circunscrição. Em comum, o delegado, que é o titular de Campo Grande, e também responde por Jardim América.

A delegacia de Campo Grande abrange uma circunscrição de 40 bairros. Com um quadro operacional composto por três investigadores e um agente, os servidores estão constantemente submetidos a uma sobrecarga intensa de trabalho interno e externo, por vezes atendendo a população após o fechamento do expediente.

Já a unidade Jardim América, que precisa atender 44 bairros, conta apenas com dois investigadores e dois escrivães. Um investigador deixou as atividades em função da aposentadoria e até hoje, o número de pessoal do DP que já é baixo, não foi atualizado.

Só em abril, foram 150 inquéritos policiais, 501 boletins de ocorrência e 25 termos circunstanciados, ou seja, uma demanda humanamente impossível de ser concluída com um total de quatro policiais civis. Outro problema decorrente da sobrecarga de trabalho é a falta de espaço para armazenar as centenas de pilhas de anexos espalhadas pelo cartório.

 

 

 

Clique na foto para ampliá-la

  

 

Inspeção sindical do Sindipol/ES: a voz do policial civil!

Mais uma vez as inspeções sindicais do Sindipol/ES constataram as mais diversas situações e condições precárias nos locais de trabalho dos policiais civis. Depois de inspecionar os Distritos Policiais nos municípios de Serra e Vitória, o que foi encontrado em algumas unidades policiais de Cariacica é realmente estarrecedor.

“A PCES canaliza as demandas de ocorrências policiais e flagrantes delitos gerados no âmbito da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Federal, atuando nas BR's, das Guardas Municipais, dos Agentes Penitenciários, atuando no complexo penitenciário capixaba, do Ministério Público, da Justiça do Estado e da população capixaba que procura as delegacias para registro de ocorrências policiais dos diversos crimes, instauração de inquéritos policiais e representações diversas, chegando a atender por vezes até as demandas da Polícia Federal”, informa o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal. 

“É um absurdo um policial civil ter que dar conta de toda essa demanda, trabalhando em sobrecarga de trabalho, estressado, desmotivado, em ambiente insalubre, rodeado por fezes de ratos. É de uma total falta de respeito com o servidor público, mas, acima de tudo, com a dignidade humana. O Sindicato está denunciando todo esse descaso e encaminhará ofício ao Ministério Público, Tribunal de Justiça, à Assembleia Legislativa, Secretaria de Segurança, à chefia de polícia civil e ao governo do Estado, relatando a realidade das Distritais de Cariacica, objetivando a defesa da categoria,  bem como, a conquista de uma polícia civil valorizada, mais eficaz e cidadã na prestação de serviços a toda a sociedade do Espírito Santo”, conclui Jorge Emílio.

 

CLIQUE AQUI E VEJA A INSPEÇÃO SINDICAL REALIZADA NAS DISTRITAIS DE SERRA

CLIQUE AQUI E VEJA A INSPEÇÃO SINDICAL REALIZADA NAS DISTRITAIS DE VITÓRIA

 

* Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 31 de agosto de 2012.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!

COMUNICADO

Governo anuncia pagamento dos servidores para o dia 24/02 (sexta - feira)

 

CONVÊNIOS

 

Rua Alberto do Oliveira Santos, nº 42, Ed. Ames, Salas 1805 a 1809, Centro Vitória, ES. CEP 29010-901. Tel. (27) 3223-1844