A Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) esteve no Distrito Policial de Cobilândia, em Vila Velha, para averiguar se alguma medida foi tomada depois que o Sindicato encontrou uma série de irregularidades na inspeção realizada em maio do último ano. A delegacia de Cobilândia é mais uma unidade que está recebendo intervenção do Ministério Público do Trabalho, em razão da atuação sindical.

Infraestrutura precária e falta de espaço

 

O cenário encontrado após cinco meses da fiscalização do Sindipol/ES não melhorou em nada. Durante esse tempo, aumentou consideravelmente o número de anexos, que são materiais apreendidos, sem um espaço para o devido armazenamento. A delegacia mais parece um depósito de entulho.

Na delegacia de Cobilândia, bicicletas, motos, carros, capacetes, uma infinidade de objetos estão aglomerados na área externa, pelos corredores e salas do imóvel. Isso dificulta a mobilidade dos servidores e da população, que busca pelos serviços prestados pela polícia judiciária. Por falta de um local apropriado, documentos importantes ficam armazenados dentro do banheiro da delegacia.

As vigas do muro estão deterioradas. As paredes estão caindo aos pedaços de tanto mofo e infiltrações. As janelas estão quebradas e pedaços de isopor e papelão servem de improviso para tapar os buracos abertos. Em uma grande faixa de extensão, o piso está todo quebrado. A instalação elétrica é precária, com fiação exposta e ausência de lâmpadas.

Desde a primeira inspeção sindical, uma caixa de esgoto permanece estourada a céu aberto, aumentando o risco de acidentes, contaminação e proliferação do mosquito da Aedes aegypti. O bairro já possui perfil histórico de alto índice epidemiológico.

A dignidade humana é desrespeitada até na hora da refeição. A cozinha é inadequada, apertada, e, ainda, está com o ralo entupido. Os policiais se alimentam em um ambiente insalubre, tendo que respirar um cheiro forte e horrível. Um absurdo!

...Só não falta trabalho

 

Com apenas cinco policiais civis, a delegacia é responsável por atender uma demanda de aproximadamente 150 Inquéritos, 12 termos circunstanciados e 300 boletins de ocorrência de nove bairros: Cobilândia, Jardim Marilândia, Jardim do Vale, Nova América, Nova Cobilândia, Rio Marinho, Santa Clara, Vale Encantado e Vila Vitória.

Condições dignas de trabalho: um Direito Constitucional

Entende-se como meio ambiente do trabalho a soma dos fatores que afetam diretamente o ser humano, e que influenciam tão somente todo o seu potencial laborativo. O meio ambiente do trabalho, é, portanto, o resultado das complexas relações em âmbito biológico, psicológico e social a que o trabalhador está submetido.

Assim sendo, com base nos relatórios levantados pelas inspeções sindicais do Sindipol/ES, é unânime afirmar que as delegacias do Estado do Espírito Santo não garantem as mínimas condições dignas no meio ambiente do trabalho. Em virtude do sucateamento, de todo o descaso, da sobrecarga de trabalho, policiais civis estão adoecendo em seus trabalhos, policiais civis estão morrendo no caminho para o expediente, plantão.

“As condições de trabalho influenciam diretamente na qualidade de vida e na saúde de cada policial civil. É importante ressaltar que a nossa Magna Carta salvaguarda que ‘todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo’. E esse é o compromisso do Sindicato: lutar incessantemente pela defesa de todos os direitos que contemplam a categoria em todos os âmbitos”, afirmou Jorge Emílio Leal, Presidente do Sindipol/ES.

Clique na foto para ampliá-la:

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!

 

 

 

COMUNICADO

Governo anuncia pagamento dos servidores para o dia 24/02 (sexta - feira)

 

CONVÊNIOS

 

Rua Alberto do Oliveira Santos, nº 42, Ed. Ames, Salas 1805 a 1809, Centro Vitória, ES. CEP 29010-901. Tel. (27) 3223-1844